21.8 C
Goiânia
InícioNotíciasAgronegócioVazio sanitário da soja começa dia 27 de junho, em Goiás

Vazio sanitário da soja começa dia 27 de junho, em Goiás

Medida fitossanitária tem o objetivo de evitar a proliferação da ferrugem asiática no campo, além de proporcionar economia à atividade agrícola e ganhos sociais e ambientais

Começa, na próxima terça-feira (27/06), o vazio sanitário da soja, em Goiás. Um dos objetivos é evitar a proliferação da ferrugem asiática, já que plantas que nascem nas áreas cultivadas após a colheita da safra, conhecidas como “tiguera da soja”, podem se tornar hospedeiras do fungo causador da doença e, por isso, devem ser eliminadas. 

A medida se estende até 24 de setembro, totalizando 90 dias. Neste período, o produtor precisa ficar atento, porque não será permitido plantar ou manter plantas vivas de soja em qualquer fase de desenvolvimento em lavouras. O vazio sanitário é uma ação preventiva, usada desde 2004, em Goiás, aprovada pela pesquisa científica como estratégia adicional ao manejo.

O presidente da Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa), José Ricardo Caixeta Ramos, explica que a medida fitossanitária é importante, pois ajuda a reduzir o índice populacional da ferrugem asiática no campo, colaborando ainda para a redução de aplicações de defensivos químicos e para a proteção ao meio ambiente.

“Pelo trabalho que a Agrodefesa faz em campo, já verificamos que os produtores goianos estão cada vez mais conscientes, seguem o calendário e cumprem com as medidas legislativas orientadas pela Agência. Mas é necessário reforçar o pedido para que todos fiquem atentos aos prazos, até porque é uma ação que proporciona economia à produção agrícola, além de ganhos fitossanitários, sociais e ambientais”, enfatiza.

Até 2021, o vazio sanitário da soja se iniciava de 1º de julho até 30 de setembro. Por meio da Instrução Normativa (IN) de Soja nº 02/2021, publicada pela Agrodefesa, o calendário foi alterado em 2022 e passou a vigorar com a data de 27 de junho a 24 de setembro. A antecipação se deve a um pedido da cadeia produtiva, aprovado inclusive pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Os produtores rurais e entidades do setor solicitaram a alteração da data de semeadura da soja no Estado, que foi antecipado em seis dias – de 1º de outubro a 31 de dezembro para 25 de setembro a 31 de dezembro. Com isso, houve também a mudança no período do vazio sanitário. A alteração de calendário da semeadura propiciou aos produtores a possibilidade de antecipar o cultivo da safrinha, em sucessão à cultura da soja, visando o melhor aproveitamento hídrico dessas culturas no campo. 

Saiba Mais

De acordo com a IN nº 02/2021, o cadastro, que era realizado até 15 dias após o término da semeadura, desde 2022 pode ser realizado até 15 de janeiro, independentemente da data de plantio. O cadastramento após o término do prazo, ou seja, após 15 de janeiro, e/ou a falta de pagamento da taxa de cadastro, serão considerados descumprimentos da normativa. Outro item da normativa foi a proibição da semeadura e o cultivo de soja em sucessão à soja na mesma área e no mesmo ano agrícola. 

Já as finalidades dos cultivos autorizados em caráter excepcional, para semeadura e manutenção de plantas vivas de soja durante os períodos de vazio sanitário e calendário de semeadura continuaram as mesmas. A única medida adotada desde o ano passado foi com relação ao cultivo excepcional de soja no Projeto de Irrigação de Luís Alves, no município de São Miguel do Araguaia, onde foi restringido o período de 10 de maio a 10 de junho de cada ano para a semeadura da soja.

Nossas Redes Sociais
11,345FãsCurtir
23,198SeguidoresSeguir
Últimas
Postagens Relacionadas