26.8 C
Goiânia
InícioNotíciasAgronegócioStartup usa microvespas para controle biológico de pragas em lavouras

Startup usa microvespas para controle biológico de pragas em lavouras

A biofábrica funciona em um laboratório do Centro de Empreendedorismo e Incubação (CEI) da UFG em Goiânia

Produzir mais alimentos e preservar o meio ambiente. Essa tem sido a agenda global do agronegócio para alimentar a população mundial que só cresce e ainda diminuir os gases do efeito estufa (GEE). Dentro dessa cadeia de produção sustentável está o controle biológico de pragas e doenças, os bioinsumos.

Os bioinsumos são um conjunto de produtos feitos a partir de microrganismos, extratos vegetais e agentes biológicos, que são utilizados várias fases da produção. Essa tecnologia surge da procura por soluções sustentáveis para promover o desenvolvimento de plantas, aumentar a produtividade e ainda controlar pragas e doenças nas lavouras.  

Levantamento do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) mostra que o uso de bioinsumos no controle biológico de pragas e na fixação de nutrientes nas plantas representa uma economia de US$ 13 bilhões por ano ao setor agrícola.

O Brasil, com uma das maiores diversidades biológicas do planeta, é líder mundial em bioinsumos, segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), mas ainda apresenta grande potencial para expandir o uso dessas tecnologias sustentáveis. 

Uso de insetos na agricultura

Dentre essas tecnologias, uma startup de Goiás desenvolveu uma forma de controle biológico eficiente contra pragas de lavouras, ajudando a reduzir o uso de defensivos químicos. 

A ideia é colocar pequenas cartelas contendo ovos parasitados com microvespas chamadas Trichogrammas na lavoura, que ao depositarem seus ovos dentro dos ovos das pragas, interrompem o seu ciclo de desenvolvimento, eliminando o uso dos inseticidas.

A pesquisadora explica que assim que encontram o hospedeiro, as vespas depositam seus minúsculos ovos dentro dos ovos da praga e matam o embrião para não ter competição, impedindo que se transformem em lagartas e iniciem a alimentação e os danos nas culturas. Dentro de oito a 10 dias, nascem novas vespinhas, que são totalmente carnívoras e não prejudicam a cultura. Cada unidade (cartela com gancho) tem cerca de 1500 vespas e possui um raio de atuação de 28 metros quadrados.

O Projeto

Rizia da Silva Andrade, é engenheira agrônoma, coordenadora do projeto. Conheceu o chamado controle biológico quando cursava mestrado em entomologia na USP de Piracicaba, em São Paulo. Hoje ela é sócia na Biogyn Soluções Entomológicas junto com a irmã Gláubia Cavalcante e Janaína Moura, também engenheira agrônoma, no desenvolvimento dessa solução para agricultura.

O projeto surgiu em 2015, apoiado pela Escola de Agronomia da UFG, da Embrapa Arroz e Feijão e do Centro de Empreendedorismo e Incubação da Universidade Federal de Goiás (CEI / UFG), onde funciona o laboratório.

“O uso do Controle Biológico consiste em reduzir a quantidade de inseticidas químicos pulverizados na agricultura. Já na agricultura orgânica auxilia na manutenção de insetos benéficos na área”, aponta Rízia Andrade.

Tipos de Produtos

A empresa possui três soluções para o manejo de pragas: uma vespa parasitoide (Trichogramma pretiosum) de ovos de mariposas e borboletas, utilizada em culturas como tomate cereja, milho verde, milho silagem, couve e soja.

Além disso, predadores (Chrysoperla externa), que é um predador de insetos de corpo mole como cochonilha, mosca-branca, pulgão, ovos e o percevejo predador (Orius insidiosus): predador de Tripes e mosca-branca.

“Atendemos produtores de tomate cereja, hortaliças (couve e alface), fruticultura, fumo, milho verde e milho silagem. Ambos os produtos podem ser utilizados em quaisquer culturas que ocorram as pragas”, explica.

Custo Benefício e Sustentabilidade

Segundo a pesquisadora, esse controle preventivo das pragas, antes delas se alastrarem pelas lavouras, que pode auxiliar na redução do uso de defensivos químicos, que custam caro para o produtor. Então além de economizar com esses produtos, é feito um controle biológico que não agride as plantas, melhorando a produtividade e consequentemente com menor contaminação dos alimentos, do solo, da água, dos animais, dos trabalhadores rurais e dos consumidores.

Como adquirir

O produtor rural que tiver interesse em conhecer o trabalho de pesquisa ou experimentar os produtos na sua lavoura basta entrar em contato pelo e-mail  biogynsolucoes@gmail.com  ou telefones (62) 3288-2627 e (62) 99387-0660. Segundo a pesquisadora, todos os produtos podem ser adquiridos mediante encomenda prévia.

Janaina Honorato
Janaina Honorato
Jornalista especialista em agronegócio com formação em marketing digital. Experiência de 9 anos com comunicação para o agronegócio em reportagens de TV, rádio, impresso e internet.
Nossas Redes Sociais
11,345FãsCurtir
23,198SeguidoresSeguir
Últimas
Postagens Relacionadas