17.8 C
Goiânia
InícioNotíciasClimaChuva intensa aumenta casos de ferrugem da soja na safra 22/23

Chuva intensa aumenta casos de ferrugem da soja na safra 22/23

Umidade combinada às altas temperaturas do verão favorecem incidência da doença

Chuva forte e intensa vem acontecendo em várias regiões do Brasil, desde o começo do verão. Umidade combinada à horas de altas temperaturas, clima favorável para proliferação da ferrugem asiática nas lavouras de soja.

Assim como nas safras anteriores, tem aumentado os relatos de ferrugem asiática, em janeiro deste ano, nos estados e municípios produtores de soja. Segundo levantamento do Consórcio Antiferrugem, na safra 2022/23, até a data da publicação do estudo, havia 119 relatos da doença, presente em nove estados brasileiros, sendo 79% das ocorrências em lavouras comerciais na fase de enchimento de grãos.

Na mesma época, na safra passada, havia 59 relatos, porém, as condições climáticas eram diferentes, com menor volume de chuvas na região Sul do País, Mato Grosso do Sul e Paraguai, o que antecedeu a ocorrência da doença.

A pesquisadora Cláudia Godoy, da Embrapa Soja, explica que a ferrugem é favorecida pelas chuvas bem distribuídas ao longo desta safra. “Em regiões em que as chuvas estão regulares, a doença é mais comum quando ocorrem falhas de aplicações de fungicidas ou os fungicidas usados ​​têm baixa eficiência para o controle da ferrugem”, explica.

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), mais de 50% das lavouras estão na fase de enchimento de grãos (após R5), situação em que a doença causa menos dano. Godoy afirma que o potencial de dano da ferrugem asiática é maior nas lavouras ainda em estádio vegetativo, floração e formação de vagens, que recebem maior quantidade de inóculo do fungo das áreas semeadas mais cedo.

“Permanecendo as condições toleradas para a doença, as lavouras mais atrasadas irão necessitar de aplicações com fungicidas com alta eficiência para o controle da doença”, alerta. “Mesmo os produtos mais eficientes para o controle devem estar associados ao uso de fungicidas multissítios, à medida que aumenta o inóculo de ferrugem nas regiões”, comenta.

A comparação da eficiência de fungicidas registrada e em fase de registro para o controle da ferrugem-asiática vem sendo feita em experimentos em rede, realizados desde a safra 2003/2004, no Brasil. Os fungicidas são apreciados, em aplicações sequenciais, em semeaduras tardias, para determinar a eficiência de controle.

Os resultados mais recentes sobre a eficiência dos fungicidas para controle da ferrugem podem ser acessados ​​na publicação safra 22/23. A pesquisadora da Embrapa relata ainda a ocorrência de outras doenças nessa safra.

Nas regiões do Cerrado, por exemplo, onde vem ocorrendo boa distribuição de chuvas nas semearaduras iniciais, tem-se observado alta incidência de mancha-alvo. Além disso, na região Sul, há relatos de mofo-branco nas regiões mais altas com temperaturas mais amenas e em períodos de menor precipitação a presença do oídio.

Janaina Honorato
Janaina Honorato
Jornalista especialista em agronegócio com formação em marketing digital. Experiência de 9 anos com comunicação para o agronegócio em reportagens de TV, rádio, impresso e internet.
Nossas Redes Sociais
11,345FãsCurtir
23,198SeguidoresSeguir
Últimas
Postagens Relacionadas